Carta de recomendação

– Alô.

– Bom dia, eu poderia falar com o Ricardo?

– É ele, quem deseja?

– Ricardo, meu nome é Gustavo, eu sou…

– É engano, eu não conheço nenhum Gustavo, passar bem.

– ….

 

– Alô.

– Ricado?

– Você de novo?

– Calma, não desliga! Eu sou…

– Operador de telemarketing da VIVO! Desculpa, meu amigo, meu celular é da concorrente e estou muito satisfeito com o serviço.

– De onde você tirou isso? Quem disse que eu… 

– Se for me oferecer assinatura do O GLOBO nem perca seu tempo!

– Você vai deixar eu falar?

– Você já não está falando? Aliás, eu nem te conheço e já nos falamos duas vezes em menos de 5 minutos!

– Ricardo, quem me deu seu telefone foi a Cláudia, você é ex-namorado dela, não é isso?

– Por que a Claudinha iria te dar meu telefone? Nem precisa falar, já sei! Ela está fazendo mais um crediário e deu meu telefone como referência…

– Mais um crediário? Você está dizendo que a Cláudia, quer dizer, Dona Cláudia, é “gastadeira”?

– Xiii… você nem imagina. Gasta um fortuna em roupas, sapatos, salão de beleza, academia… Às vezes ela se enrola na hora de pagar, mas vocês não precisam se preocupar com isso, a família dela tem posses.

– Ela devia fazer isso para ficar bonita para você, deve ser vaidosa.

– Vaidosa ela é mesmo. Vaidosa, arrogante, prepotente… mas isso ela herdou da mãe, aquela jararaca!

– A mãe dela é uma jararaca?

– Claro! Aquela velha turrona tem a cabeça mais dura que uma parede de concreto, não dá o braço a torcer por nada. Meu ex-sogro sofre na mão dela.

– Mas apesar de tudo ela é uma pessoa confiável, não é?

– Mais ou menos… essa safada, me desculpe a má palavra, me traiu duas vezes, nem sei como não terminamos naquela época. Por amor a gente engole cada sapo… Mas afinal, de que empresa você é?

– Eu?

– Não me diga que…

– ….

 

– Alô?

– Cláudia, é o Gustavo, precisamos conversar.

– O que houve Gugu? Aconteceu alguma coisa?

– Prefiro falar pessoalmente.

– Você ligou para o Ricardo? Tenho certeza que ele falou bem de mim, não foi?

– Não consegui falar com ele. Ele deve ter mudado de telefone.

– Que pena… Eu e o Ricardo ficamos muito amigos depois que terminamos. Tenho certeza que ele tiraria todas essas dúvidas que você colocou na cabeça a meu respeito.

 

 

Foi nesse encontro que Cláudia e Gustavo sacramentaram o término da relação. Daquele dia em diante, Gustavo nunca mais pediu “carta de recomendação” para suas namoradas.

Anúncios

7 Respostas to “Carta de recomendação”

  1. Caramba…
    Já disse que adoro seus diálogos, né?

  2. Eduardo Santos Says:

    Voltando à velha forma, hein?

    Nelson Rodrigues perde…

  3. Tá ficando bom… Mas passado de mulher e linguiça, é melhor não saber o que vem dentro senão você não come.

  4. Tadinha… E o cara, hein, carta de recomendação de namorada… É o fim!

    beijão

  5. David,
    Ótimo post! Voltei a ter onde melhorar meu humor!
    Abs!

  6. Adorei o texto xD
    eu já fiz isso uma vez, mas pra mim funcionou, ao menos.

  7. Pô… isso nunca funciona. A não ser que você peça àquele ex namorado de muitos anos passados…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: